Primeira Infância em Bogotá: Territórios e desafios para as Políticas Públicas

Pobreza e desigualdade

A cidade de Bogotá, na Colômbia, é uma das 10 áreas urbanas mais populosas da América Latina, com 7.739.389 habitantes (2013). Para conseguir uma melhor qualidade de vida para todos os seus cidadãos, a cidade precisa saber como as crianças na primeira infância estão se desenvolvendo. Há um ano o programa Bogotá Cómo Vamos (Bogotá Como Estamos) começou a trabalhar com a Equidade para a Infância e a Fundação Corona em um estudo que analisa e compara as condições de vida da infância em suas várias cidades.

O trabalho tem como objetivo identificar como a iniquidade pode ser associada com os lugares em que as crianças pequenas estão crescendo. Para atingir esse objetivo, o programa Bogotá Cómo Vamos reuniu funcionários do governo local e nacional para revisar e analisar as informações disponíveis, através de uma oficina coordenada por Alberto Minujin diretor da Equidade para a Infância.

Para a análise, foram selecionados 12 indicadores da totalidade da informação pública disponível, os quais permitiram comparar as condições das crianças em cada distrito de Bogotá, considerando: população, saúde, nutrição e direitos, entre outras questões.

Bogotá Cómo Vamos (Bogotá Como Estamos) foi criado em 1998 para sensibilizar os cidadãos e os governos locais sobre como alcançar uma melhor qualidade de vida para os cidadãos. O programa tem três objetivos: 1) promover a responsabilização e a transparência dos governos; 2) Promover uma cidadania informada e engajada; 3) Promover parcerias para garantir uma melhor qualidade de vida na cidade. Desde a sua fundação, esta é a primeira vez em 16 anos que os indicadores são usados ​​para diagnosticar um setor específico da população: crianças de 0-5 anos.

O estudo mostra que cinco locais têm uma condição desfavorável para as crianças: USME, Ciudad Bolivar, Santa Fé, La Candelaria e San Cristobal. Por outro lado, os quatro que oferecem melhores condições para a primeira infância são: Fontibon Puente Aranda, Usaquén e Chapinero. Para visualizar estes resultados, foi criado um instrumento interativo que pode ser visto em http://goo.gl/E2ye1M

Numa segunda fase deste projeto, propõe-se o desafio de fazer o mesmo exercício em seis outras cidades da Colômbia, que fazem parte da rede nacional de Ciudades Cómo Vamos. Este estudo mais amplo permitirá identificar os avanços e desafios dos indicadores locais relativos à primeira infância, para fortalecer o processo de tomada de decisões no setor público.

O uso de indicadores comparáveis ​​ao longo do tempo, juntamente com uma forte rede de organizações da sociedade civil, é um avanço em relação a estudos feitos anteriormente pelas cidades, e também sinaliza como as armadilhas da desigualdade fazem dos territórios urbanos uma das fontes de exclusão para milhares de crianças na Colômbia.

DEIXAR SEUS COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

NOVIDADES

Menus de configuração no Painel de Administração

X