Categorías étnicas. Um estudo com crianças de um bairro indígena

Violência e explotação, Monitoramento e avaliação, questões metodológicas e conceituais

O artigo reflete sobre as categorias de identificação utilizadas pelas crianças que vivem em um bairro toba (qom)” na periferia da cidade de Buenos Aires (Argentina) formado por famílias provenientes de comunidades tobas rurais e semi-urbanas de das províncias argentinas do Chaco e de Formosa.

Analiza-se como são construídas as diversas categorias identitarias utilizadas pelas crianças e os sentidos que lhes são atribuídos, bem como as possíveis relações sociais e dimensões nelas envolvidas. O artigo está dividido em três partes: Na primeira expõe-se a articulação efetuada entre diversas ferramentas teórico-metodológicas para reconstruir as perspectivas das crianças (oficinas, entrevistas, histórias de vida, etc.). Na segunda reflete-se sobre as disputas acerca da adscrição étnica entre as crianças. A partir dessas análises se apresentam as principais conclusões às que as autoras chegaram.

Entre outras coisas, destaca-se uma notável diversidade nos modos de identificação das crianças em relação com variáveis como os processos sociais que vivenciam (educação, migrações, viagens, etc.) e com dimensões da sua vida cotidiana (a língua, a religião, as relações familiares). Além disso, conclui-se que as crianças são ativos agentes sociais que se apropriam de diferentes categorias de identificação de acordo com os contextos em que participam.

Baixe o arquivo. Em: evista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, vol. 8, núm. 2, jul-dez, 2010, pp. 981-993, Universidade de Manizales, Colômbia

DEIXAR SEUS COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

NOVIDADES

Menus de configuração no Painel de Administração

X