As escolas como territórios de paz. Construção social da criança como sujeitos políticos em contextos de conflito armado.

Educação, Violência e explotação

Livro “As escolas como territórios de paz” reflete sobre as crianças como sujeitos políticos em contextos de violência armada na Colômbia, e sobre o papel das escolas na construção de relações sociais pacíficas.

A investigação que dá origem a este livro publicado por CLACSO surge e se desenvolve no âmbito do programa pós-doutoral de pesquisa em Ciências Sociais. Seu interesse ético-político e social fundamental se centra na compreensão dos processos de construção da subjetividade política da infância em contextos de guerra, a partir da ampliação de marcos epistemológicos, teóricos, metodológicos e semânticos a partir dos quais se têm pensado tradicionalmente o sujeito e seu desenvolvimento humano. Metodologicamente, o processo investigativo desenvolveu-se a partir de informações derivadas de outras pesquisas sobre a infância em conflito armado e deslocamento forçado que já foram desenvolvidas na Colômbia, com o fim de realizar uma metaleitura dos relatos das crianças. Esta opção metodológica sustenta-se no compromisso ético de não gerar processos de revitimização nos quais crianças que sofreram a guerra tenham que reviver constantemente os fatos pelos quais passaram, bem como constitui uma aposta por construir sentido social a partir das experiências narradas por estes sujeitos. O texto está dividido em oito partes onde se desenvolvem distintas dimensões da vida dos sujeitos imersos em contextos de violência armada e deslocamento forçado, em relação com a historia do país e o estado do conhecimento sobre o tema. A pesquisa busca não só mostrar as formas em que a violência militar descompõe a vida das crianças e jovens, senão principalmente mostrar as condições de reconstituição da cidadania política. Neste sentido, discute sobre a reconstrução da cidadania política a partir das escolas de paz, que são espaços de recuperação de crianças e jovens que passaram pela experiência de militarização e seus efeitos. Mostra-se que a partir da configuração de subjetividades políticas alternativas, baseadas nas potencias das crianças e seus contextos, é possível participar na construção de uma cultura de paz em ambientes caracterizados pelo conflito armado.

 

[doc]as-escolas-como-territorios-de-paz-construo-social-da-criana-como-sujeitos-politicos-em-contextos-de-conflito-armad.pdf[/doc]

DEIXAR SEUS COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

NOVIDADES

Menus de configuração no Painel de Administração

X