Desigualdade sócio-econômica e saúde na infância na América Central e na fronteira sul do México.

Saúde

Neste documento analisa-se a evolução de um dos indicadores centrais da saúde, a mortalidade infantil, em relação ao produto interno bruto per capita, o gasto total em saúde e a proporção da população que têm acesso à água potável nas regiões da fronteira sul do México e dos países da América Central.

timthumb.php(12)Observa-se que existem fortes desigualdades entre os diferentes países e ao interior dos mesmos no que se refere ao PIB per capita, ao gasto em saúde e ao acesso à água potável. Vale ressaltar que mudanças econômicas como o PIB per capita, não influenciam de maneira direta na saúde das populações pobres, senão que existem outros fatores sócio-econômicos que estão mediando o declínio das taxas, como o gasto total em saúde e a proporção da população que tem acesso à água potável.
Este estudo mostra que o acesso universal à água potável deveria ser uma prioridade, considerando que é um indicador importante para a prevenção de doenças (principalmente em crianças) e para a redução das taxas de mortalidade infantil.

II Congresso Latino-americano e caribenho de Ciências Sociais. México 2010. 27, 27 e 28 de maio. Cidade do México.

[doc]desigualdade-socio-econmica-e-saude-na-infncia-na-america-central-e-na-fronteira-sul-do-mexic.pdf[/doc]

DEIXAR SEUS COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

NOVIDADES

Menus de configuração no Painel de Administração

X