Crianças em competição

Saúde

Save the Children realiza esta pesquisa sobre a vulneração de direitos das crianças em esportes de alta competição, como a ginástica olímpica, o futebol, dentre outros. Além disso, refere-se à legislação que deve protegê-las.

timthumb.php(18)Milhões de crianças no mundo praticam esportes. Todo o mundo é consciente de que o esporte beneficia às crianças não só física como psiquicamente. A prática de esportes favorece o bem estar e a autodisciplina, o trabalho em equipe, a liderança, a cooperação, bem como a habilidade de compartilhar, lidar com situações de estresse e de competição. Entretanto, exige-se às crianças que praticam esportes de alta competição um treinamento que excede suas capacidades físicas e emocionais. O tempo excessivo dedicado ao treino pode levar à perda de experiências fundamentais na infância como a socialização com os amigos e a família.
A intensidade do treinamento e a forma em que é realizado devem adaptar-se às capacidades das crianças e a suas motivações físicas e mentais, e não ao contrário. Muitos especialistas crêem que até a idade de 11 ou 12 anos, as crianças dão a mesma, ou mais importância a outras questões que a ganhar: o prazer, a ação, os jogos informais, a interação social, a melhora de suas habilidades, a participação, etc.. A classificação, as medalhas e os títulos poderiam, por tanto, ser suprimidas, para todas aquelas crianças menores de 14 anos.
A criança está potencialmente em perigo quando os adultos, ao invés de adaptar-se a suas necessidades, impõem a elas seus próprios valores, percepções, demandas físicas e mentais.

[doc]crianas-em-competi.pdf[/doc]

DEIXAR SEUS COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

NOVIDADES

Menus de configuração no Painel de Administração

X